Projeto Vôlei Cidadão de Igarapava/SP

Este projeto tem como meta principal apoiar as crianças e adolescentes de 08 a 17 anos, em especial as que se encontram em situação de carência. O Projeto Voleibol prevê ações para levar a esta comunidade como um todo, um esporte que potencializará o universo desportivo da comunidade e seus representantes. Além de oferecer alternativas ocupacionais e educacionais aos participantes do Projeto Voleibol.

 

 

Gostou do projeto? Não deixe de contribuir fazendo sua Doação


 

APRESENTAÇÃO



O Projeto Voleibol é uma instituição desportiva para o ensino e prática do Voleibol voltado exclusivamente para o desenvolvimento da comunidade esportiva de Igarapava. Um projeto sem fins lucrativos onde seus participantes nada pagam pelas despesas com sua permanência no projeto.

Instituído em março de 2015 e tendo como Coordenador Técnico o Professor Vanderlei Pim, que desenvolve uma proposta esportiva desde a sua fundação onde o objetivo é a integração comunitária desportiva e cuja função visa à promoção do desporto voleibol e suas relações de cooperação e de práticas solidárias a favor do crescimento autossustentado do desporto para a melhoria de qualidade de vida dos seus praticantes na comunidade local, focada na cidadania, na sustentabilidade, educação e saúde de seus praticantes e acreditando que as forças comunitárias são capazes de promover soluções criativas e autossustentadas para  o desenvolvimento do desporto como um todo.

Em consonância com essa visão, o Projeto Voleibol promove o desenvolvimento de competências nos agentes da comunidade de modo a tornar possível não apenas o desencadeamento, mas, sobretudo, a sustentação de processos de melhoria da qualidade do desporto voleibol aplicado como fator de educação, cultura, esporte de alto rendimento, ação comunitária e geração de trabalho e renda.

Para a realização do projeto foi firmado uma parceria entre com a Prefeitura Municipal de Igarapava, através de seu Departamento Municipal de Esportes e da Secretaria de Educação, em trabalho conjunto com a Escola Municipal Alfredo Cesário de Oliveira que cede local para treinos, lanche e 1 (um) professor de educação física.

O projeto possui materiais desportivos necessários para sua prática inicial, possibilitando o treinamento a seus alunos e trazendo para a cidade de Igarapava um reconhecimento regional nas categorias de 08 a 17 anos. Oferece à cidade a oportunidade de se colocar positivamente no desporto regional, avaliando o projeto como capaz de contribuir para o desenvolvimento local, integrado  e sustentável, estimulado a corresponsabilidade dos diferentes setores da comunidade e, principalmente, criando a oportunidade de integração e desenvolvimento pessoal, social, educacional e profissional da criança e do adolescente menos favorecido e, em situação de risco.

 

LOCAL DE ATENDIMENTO

 

Atendendo as crianças e adolescentes, estudantes da rede municipal de ensino e demais, participantes dos projetos desportivos, culturais e de lazer do município de Igarapava/SP, o Projeto Voleibol atualmente atende na Associação Sabesp ás terças e quintas das 18:00h às 20:00h e, no período de férias, podendo ser ampliado seu horário de atendimento de acordo com a quantidade de alunos inscritos e de aumento da estrutura de atendimento.

 

METODOLOGIA EMPREGADA

 

O projeto prevê a realização e participação em aulas nas quadras com treinamentos de acordo com as periodizações definidas pela coordenação, encontros, campeonatos, festivais, palestras, inclusão digital, salas de aulas, além de criação de novos espaços para a prática do voleibol no município, promovendo a inclusão através do desporto, a geração de renda através de expressões esportivas diversificadas, para o desenvolvimento das ações no período de 12 meses.

 

JUSTIFICATIVA

 

O Projeto poderá contempla os 3 eixos estratégicos do “CONANDA – Conselho Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente”, atendendo o marco regulatório do atendimento socioeducativo, o marco regulatório da política de proteção e promove a garantia de direito. Porém, também necessita de recursos públicos na área da criança e do adolescente, utilizando o Plano Plurianual (PPA), a Lei Orçamentária Anual (LOA) e a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e necessita principalmente de recursos da iniciativa privada através da Lei de Incentivo ao Esporte.

O princípio norteador do Projeto Voleibol é a integração da política socioeducativa com os demais sistemas, como Saúde, Educação, Assistência Social, Justiça e Segurança, utilizando o Sistema Esportivo como fomento das ações socioeducativas.

A sua formulação atende as normas nacionais (Constituição Federal, Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA) e também internacionais (ONU), reconhecendo o adolescente como pessoa em situação peculiar de desenvolvimento e sujeito a direitos e responsabilidades (art. 227 da CF e 3º, 4º 6º e 15º do Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA). Dá prioridade absoluta para a criança e para o adolescente (art. 227 da CF e 4º do ECA); promove o respeito à capacidade do adolescente de cumprir a medida, às circunstâncias, à gravidade da infração e ajuda nas necessidades pedagógicas do adolescente na escolha da medida, visando principalmente à família e a vivência em comunidade (ECA) e está alicerçado na mobilização da opinião pública no sentido da indispensável participação dos diversos segmentos da sociedade para o futuro de nossa cidade e também nas diretrizes pedagógicas socioeducativas (disciplina, diversidade étnico-racial, gênero e sexual, família e comunidade, dentre outros).

O Projeto Voleibol visa assistir a todos (homens e mulheres) cadastrados, e outros jovens e crianças que porventura possam participar. Quem participar deve passar por um processo de autorização. A autorização dos pais ou responsável também é fator principal para egresso junto ao projeto, bem como a concordância do regulamento.

Visando preparar o adolescente para a vida profissional e também visando um trabalho mais consistente, com os pés no chão, daremos preferência primeiramente pessoas com idade entre 11 e 17 anos (inclusive), para depois ampliarmos para outros beneficiados. Porém, a intenção sempre será preparar as pessoas e elevar o nome da cidade nos patamares de sucesso social, esportivo e profissional.

O projeto acompanha em seus processos algumas das diretrizes da ONU no tocante ao desenvolvimento de algumas metas como: estabelecer parcerias para o desenvolvimento mundial, promover a igualdade entre os sexos, atingir o ensino básico universal, erradicar a pobreza. Estas metas falam da necessidade de que seja criada uma rede de corresponsabilidades e suporte para a melhoria da qualidade de vida dos sujeitos e da coletividade, na qual todos estejam incluídos, fortalecendo a autonomia e intensificando os esforços para a construção de um desenvolvimento sustentável calcado na realidade local e na democracia. O compromisso com a defesa dos direitos sociais, da autonomia e da melhoria da qualidade de vida vem ganhando destaque em ações que enfatizam o esporte como fator de inclusão social, educacional, participação, lazer e rendimento; como práticas sociais balizadas nos valores que perpassam a sociedade tornando-se relevante a análise das práticas corporais e a garantia do esporte e lazer como direito social.

Necessita-se então de um projeto que contribua para o desenvolvimento de diretrizes definidas, organizadas e orientadas, que possa atender a comunidade desportiva de Igarapava como um todo. Os fatores que justificam a instituição deste projeto, destacam-se:

 

OBJETIVOS GERAIS

 

O Projeto Voleibol tem como objetivo desenvolver ações esportivas, educacionais, culturais, de sustentabilidade e de lazer e geração de renda para a comunidade de Igarapava/SP, visando à efetiva participação e envolvimento da coletividade, com ações focadas na implementação e melhorias da qualidade de vida. O projeto prevê ações para levar a esta comunidade como um todo, um esporte que potencializará o universo desportivo da comunidade e seus representantes. Além de oferecer alternativas ocupacionais e educacionais aos participantes do projeto, crianças, jovens e adultos, através da prática do desenvolvimento cultural, reduzindo a evasão escolar, violência urbana, e implementando através do desporto e formas de geração de renda aos envolvidos.

 

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 

Este projeto, que atende os objetivos específicos da CONANDA, tem por finalidade assistir às crianças, adolescentes e jovens cadastrados, das práticas esportivas do Voleibol, Biribol e Vôlei de Areia, visando dentre outros aspectos as seguintes contribuições sociais:

Inserção no mundo dos esportes; Preparação física; Correção de desvios e posturas físicas; Aplicação dos ensinamentos em sala de aula referente a cálculos matemáticos e estatísticos; Trabalho em equipe; Motivação; Inserção na sociedade através do esporte; Diminuição de atos violentos (pois tal esporte não tem contato físico) e aplicação de atos de competitividade e ao mesmo tempo harmonia e prazer entre os participantes; Eliminação de estresse emocional; Quebra de paradigmas; Formação social e de ajuda ao próximo; Acompanhamento escolar; Formação religiosa; Busca de realização de um sonho através das conquistas; Trazer para a sociedade igarapavense um time competitivo que eleve o nome da cidade de Igarapava junto às demais localidades do estado e do Brasil; Formação de atletas bem preparados, criando mais uma oportunidade de profissão; etc.

Com o apoio de possíveis parceiros, podemos iniciar o tratamento de problemas com adolescentes como, por exemplo, drogas, alcoolismo, violência, obesidade, depressão, problemas posturais, brigas familiares, dificuldades nos estudos, encaminhamento de alunos na faculdade, desempregados, dentre outros e a grande maioria deles serão vencidos, principalmente com o apoio da sociedade.

 

METAS

 

Este projeto tem como meta principal apoiar as crianças e adolescentes de 08 a 17 anos, em especial as que se encontram em situação de carência e, auxiliar e apoiar as entidades gestoras desportivas municipais no aprimoramento do esporte de inclusão junto à sociedade com pretensão ao alto rendimento em competições tais como: Campeonatos regionais, estaduais e nacionais, de acordo com o calendário de eventos esportivos das federações e confederações.

Manutenção e aperfeiçoamento do treinamento dos atletas, incentivando os mesmos para a prática que os qualifiquem para o alto rendimento na idade adulta, voltando-os para à geração de renda.

 

MODALIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS

 

Treinamento diferenciado em separado para o masculino e para o feminino e por idades (pré-mirim, mirim, juvenil, infanto-juvenil; adulto).

ALUNOS A SEREM ATENDIDOS: MÁXIMO DE 100

 

METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO

 

Quantidade: 6 (seis) vezes por semana, sendo cinco vezes durante a semana e jogos aos sábados ou domingos.

Horas diária de prática: O ideal seria de 8 horas por dia, porém, deve ser negociado o local para realização, podendo ser diminuído o tempo por motivo de força maior, com um mínimo de 2 horas por dia, 2 vezes por semana.



FATOS RELEVANTES AOS INVESTIDORES

 

POR QUE INVESTIR NO VOLEIBOL?

QUAIS OS BENEFÍCIOS?

 

 

Visão Mundial

 

O Voleibol atualmente é o esporte de maiores conquistas do Brasil. Nossa seleção masculina tem a soberania mundial e a equipe feminina também não fica para trás.

Nossos técnicos são os melhores do mundo, muito bem treinados e dirigem times e seleções do mundo inteiro e atualmente, assim como no futebol, estamos exportando jogadores principalmente para os países que mais investem no esporte (Itália, Rússia, Espanha, Grécia, etc.).

Este esporte atualmente está planejado de forma a atender da melhor forma possível os investidores que buscam retorno de sua marca/imagem/etc.

 

Brasil

 

No âmbito nacional, temos campeonatos fortíssimos, muito competitivos, assistidos por um bom público e assistidos por uma boa quantidade de espectadores, trazendo para o esporte, cada vez mais investidores.

A maioria das cidades brasileiras, de uma forma ou outra, investem neste esporte, com pouco ou muito investimento, sendo na maioria das vezes público e em outras vezes da iniciativa privada, que recebem um retorno adequado de sua imagem. O esporte também é uma grande fonte de melhoria de vida da população, principalmente de nossos jovens e adolescentes e, essa função socioeducativa é muito importante.

No Brasil o que temos de melhor está na SUPERLIGA DE VOLEI tanto masculina quanto feminina. É lá que se concentram os maiores investimentos, com retorno da mídia (ESPN, ESPORTV, REDE GLOBO, etc.), e muito mais.

 

Estado de São Paulo

 

No estado de São Paulo temos os campeonatos mais fortes do país. Os clubes são bem estruturados e apresentam um bom retorno para quem quer investir no voleibol, além de proporcionar uma belíssima função social.

O Campeonato Paulista que normalmente tem cobertura da Sportv e Espn e os jogos abertos do interior, são grandes fontes de revelações de talentos para o esporte mundial.

Como no Estado de São Paulo havia deficiência para campeonatos de idade menor (mirim, juvenil, etc.), foi criada paralelamente a APV (Associação Pró Volei), visando dar maior suporte aos interessados em iniciar regionalmente um investimento no voleibol.

 

SOLICITAÇÕES/ À INICIATIVA PRIVADA E PREFEITURA MUNICIPAL

 

  1. Contratação de profissionais capacitados como professores de educação física (no mínimo 2), monitores (4), 1 fisiologista, 1 fisioterapeuta e 1 nutricionista ou utilização dos profissionais e estrutura da rede municipal de saúde ou clínicas/hospitais particulares e públicos;

  2. Ter um ginásio poliesportivo coberto, moderno, com piso de qualidade e com maior acomodação de pessoas sentadas, dando prioridade para os projetos municipais que podem representar a cidade, com horários diários e firmando acordo com as escolas municipais e estaduais para transferência da população atual para as quadras menos expressivas e pouco usadas. O ginásio deve ser priorizado quando da marcação de jogos amistosos (intercâmbios). “O atleta que representa o município deve ter as melhores condições de trabalho para realizar suas funções com maior dedicação”;

  3. Orçamento para a área de esportes (verba mensal adequada);

  4. Responsabilidade na implementação, monitoramento e avaliação para a materialização deste direito do adolescente;

  5. Utilização de quadra de areia existente na cidade para vôlei de areia e futevôlei e piscina para a prática do Biribol (Associação Sabesp);

  6. Apoio irrestrito e incessante ao VOLUNTARIADO, com um coordenador responsável do Departamento Municipal de Esportes.

“O SERVIÇO VOLUNTÁRIO DEVE SER VALORIZADO POIS ELE DÁ O MELHOR DE SÍ, NO MELHOR DE SEU TEMPO SEM COBRAR NADA EM TROCA”;

  1. Propiciar as condições necessárias para o transporte dos alunos/atletas de nossa cidade, com motorista, combustível e lanches incluso;

  2. Ter uma agenda municipal de eventos esportivos, realizada por um profissional competente e com controle adequado dos veículos disponíveis;

  3. Ajuda de custo e bolsas de estudos para os monitores e voluntários fazendo-os, em contrapartida, disponibilizarem parte de seu tempo diário para monitorar os trabalhos definidos pelos profissionais e servindo como estagio supervisionado.

  4. Disponibilização de pelo menos 12 (doze) Bolsas de Estudos para os atletas do Voleibol nas faculdades conveniadas com o município;

  5. Disponibilização de um apoio esportivo para os atletas no Projeto Voleibol que se despontarem, para poderem treinar com maior qualidade (ATLETAS DE ALTO RENDIMENTO);

  6. Formação de uma academia municipal com um profissional capacitado para trabalhos esportivos de alto rendimento ou convênios com academias particulares, clubes e associações;

  7. Formação de Árbitros de Voleibol e demais modalidades na própria municipalidade, com registro no CREFI e no Conselho de Arbitragem da modalidade;

  8. Disponibilização da estrutura da Assistência Social da municipalidade - CRAS para trabalhos junto aos adolescentes participantes;

 

DOS RECURSOS NECESSÁRIOS

 

Para isso tudo acontecer, precisamos ter parceiros como, por exemplo:

 

Do que precisamos?

Espaço físico (Ginásio Poliesportivo para a prática do voleibol, quadra de areia, etc.), cessão de transporte dos atletas para a participação em amistosos e campeonatos, ajuda de custo para os atletas, contratação de profissionais de educação física e monitores/estagiários com ajuda de custo, doação de bolsas de estudo para atletas e monitores/estagiários, transporte, materiais esportivos, treinadores capacitados, pagamentos de cursos e inscrições dos campeonatos, acompanhamento fisioterápico, preparação física; acompanhamento nutricional, inserção na sociedade, acompanhamento educacional, inserção em outros métodos com função sócio-educativas, participação no nome de um futuro time da cidade, inserção do time no âmbito estadual, nacional e internacional, etc.

Assim como todo atendimento socioeducativo, necessitamos de apoio para equacionar algumas dimensões básicas como:

Espaço Físico por parte do poder público ou de parceiros privados, de modo a assegurar adequado atendimento aos adolescentes nas medidas socioeducativas, o Desenvolvimento Pessoal e Social do Adolescente (apoio psicossocial, autonomia, solidariedade, competências pessoais relacionadas, cognitivas e produtivas) por parte do poder público (utilizando o CRAS) ou parceiros privados; o Respeito aos Direitos Humanos; Acompanhamento Técnico Multiprofissional, contratados pelo poder público ou por parceiros privados, registrados junto ao conselho competente (CREFI, etc.), cujo perfil garanta um acompanhamento integral dos adolescentes e suas famílias; Formação continuada dos profissionais envolvidos na ação socioeducativa, com investimento do poder público ou dos parceiros (Assoc. Sabesp, etc.) na formação de profissionais capacitados; Construção de Alianças Estratégicas para a constituição da rede de atendimento indispensável para a inclusão social dos adolescentes.

 

PLANEJAMENTO

 

(em respeito ao horizonte do CONANDA – 9 anos)

“O bom planejamento é base alicerçada para o sucesso de qualquer projeto.”

 

Algumas Ações Permanentes:

Preparação dos adolescentes, treinamentos específicos, marcação de jogos amistosos dentro e fora da cidade (intercâmbio), criação de torneios e campeonatos e participação nos jogos regionais e abertos a cada ano.

 

Curto Prazo – 2016/2017:

Valorizar os trabalhos já existentes dando condições de trabalho e apoio irrestrito.

Aproveitar os trabalhos atuais voluntários para investir nos adolescentes já os preparando para uma nova vida, dando condições para realizar testes em clubes, ajudando no primeiro emprego, etc.;

Proporcionar a criação de times/equipes municipais competitivas, com o apoio da iniciativa privada;

Buscar verba da iniciativa privada e pessoa física através da restituição do imposto de renda (CMDCA, Lei de Incentivo ao Esporte, etc.).

 

Médio prazo: 2018/2020

Elaborar um trabalho de divulgação na cidade visando retirar adolescentes carentes do sedentarismo e da pobreza, proporcionando melhores condições sociais de vida e de inserção na comunidade e no mundo profissional utilizando o esporte como formação de caráter do indivíduo.

Elaborar um planejamento imediatamente para os adolescentes “de meia idade” – 14 a 17 anos, com treinamento específicos, utilizando o voluntariado da área, os parceiros, as academias, os profissionais contratados e os monitores para prepararem esses adolescentes a terem pelo menos (1) uma chance de realizar seu sonho. Tal ação está diretamente ligada à formação de jogos, torneios e participação em campeonatos.

Estruturação das equipes masculinas e femininas nas diversas categorias (pré-mirim, mirim, infantil, juvenil, etc.) e horários para treinos.

 

Longo Prazo: 2021/2024

Preparar um planejamento a longo prazo de formação do indivíduo e do atleta, dando condições para ele iniciar suas atividades desde a 1.ª fase dos treinamentos (atividades lúdicas), com pouca idade (8, 9, 10 anos), passando por todas as fases, até a fase adulta, fazendo assim que o adolescente da cidade seja diferenciado, inteligente, educado, compassivo, trabalhe em equipe, ajude o próximo, dentre outras coisas.

Dar continuidade com o projeto, aumentando a estrutura, com o apoio da iniciativa privada, dando condições para os adultos terem mais uma opção de trabalho (profissionalismo do esporte) utilizando todos os meios possíveis necessários.

Preparação de uma equipe de “alto rendimento” e estruturação junto aos parceiros de equipe juvenil, adulta, etc.